Falar sobre a violência contra mulher, parece um assunto batido. Não é a toa que este assunto tem sido tão abordado. Os números continuam afirmando que a violência existe e muito forte em nossa sociedade. "Segundo a ONU, 7 em cada 10 mulheres no mundo já foram ou serão violentadas em algum momento da vida." Este número deveria assustar a maioria das pessoas, mas não é o que acontece. Somente uma reeducação social seria capaz de transformar este cenário. Em muitas sociedades os homens, ainda são vistos como seres humanos de qualidade superior, possuem direitos e liberdades não concedidos às mulheres.

Isso nos parece distante, falando do Brasil. Um país jovem e aparentemente tão livre. Nossa realidade não está longe desses números. O machismo está enraizado de tal forma que as mães e mulheres contribuem para essa cultura e nem percebem.


A situação fica clara quando observamos a criação dos filhos, as meninas são responsáveis pelos assuntos domésticos, diferente dos meninos que não são cobrados neste sentido. Na adolescência fica ainda mais evidente. Os homens são incentivados à prática do sexo, já o sexo feminino é sempre reprimido.


Quando o assunto é violência sexual, o cenário é ainda pior. A sociedade julga as mulheres por se vestir de forma sensual, como se fossem culpadas pelo crime. Precisamos entender, que independente do acontecimento, o ser humano precisa respeitar o NÃO quando ele é dito, mesmo que seja na última hora. Nós seres humanos, somos RACIONAIS. O que nos diferencia dos animais é exatamente essa capacidade de raciocinar e não agir por impulso ou instinto.


Ainda temos um longo caminho a percorrer. É fundamental reconstruir uma cultura de respeito aos direitos humanos das mulheres e repensar nos papéis estabelecidos dos gêneros.

Atualização em 13/02/2017 

 

No mês de fevereiro de 2017. Vladimir Putin, então presidente da Rússia sancionou a lei que assegura aos maridos russos o direito de bater em suas mulheres uma vez por ano, com penas atenuadas. As penas graves que eram aplicadas a toda agressão doméstica, agora só servirão para quem provocar fraturas em ossos. Um verdadeiro retrocesso para nossa sociedade global.